Musicologia

ADORNO, Theodor e PADDISON, Max. On the Problem of Musical Analysis. On the Problem of Musical Analysis. Music Analysis, Vol. 1, No. 2 (Jul., 1982), pp. 169-187.
PDF

ADORNO, Theodor. Critica cultural e sociedade. In Prismas: Crítica cultural e sociedade. Augustin Wernet e Jorge Mattos Brito de Almeida, trad. São Paulo: Ática, 1998.
ODT  
PDF

ADORNO, Theodor. O fetichismo na música e a regressão da audição. Textos escolhidos. São Paulo: Nova Cultural, 1996, p. 65-108, excertos.
PDF - Primeira parte  
PDF - Segunda parte

AGAWU, Kofi. Analyzing Music under the New Musicological Regime. The Journal of Musicology, Vol. 15, No. 3 (Summer, 1997), pp. 297-307. University of California Press. Disponível em http://www.jstor.org/stable/763911. Acesso em: 26 mar. 2013.
PDF

ALVARENGA, Hermes Cuzzuol. Ousadia e convenção no Segundo concerto para Violino e Orquestra de Camargo Guarnieri. Série Estudos No. 5. Porto Alegre, p. 183-256, dezembro 2000.
PDF

ANDRADE, Mário de. Ensaio sobre a música brasileira. 3ª ed. Comentário e hipertextos: Cláudia Neiva de Matos (UFF). São Paulo: Vila Rica; Brasília: INL, 1972.
Capa em JPG  
PDF Livro

BÉHAGUE, Gerard. Conferência: Discurso Musical e Discurso sobre Música: Sistemas de Comunicação Incompatíveis?.
PDF

BORGES NETO, José. Música é linguagem? Universidade Federal do Paraná.
PDF

BATSTONE, Philip. Musical Analysis as Phenomenology. Perspectives of New Music, Vol. 7, No. 2 (Spring - Summer, 1969), pp. 94-110
PDF

BORGES NETO, José. Música é linguagem? Universidade Federal do Paraná.
PDF

BRETT, Philip; WOOD, Elizabeth. Música Lésbica e Guei. Tradução de Carlos Palombini. Gentilmente cedido pelo tradutor, a ser publicado pela ANPPOM em breve.
PDF

BUDASZ, Rogério (Org.). Criação musical e tecnologias: teoria e prática interdisciplinar. Damián Keller (prefácio e organização). Vol. 2. Goiânia: ANPPOM, 2010.
PDF

BUDASZ, Rogério (Org.). Pesquisa em música no Brasil: métodos, domínios, perspectivas. Vol. 1. Goiânia: ANPPOM, 2009.
PDF

CLIFTON, Thomas. Music as heard: a study in applied phenomenology. New Haven: Yale University Press, 1983, pp. i-29.
PDF

COOK, Nicholas. Theorizing Musical Meaning. Music Theory Spectrum, Vol. 23, No. 2 (Autumn, 2001), pp. 170-195.
PDF

COPLAND, Aaron. Como ouvir (e entender) música. Tradução de Luiz Paulo Horta. Editora Artenova.
PDF

DENORA, Tia. 2004. Musical Practice and Social Structure: A Toolkit. In Eric F. Clarke, Nicholas Cook, eds., Empirical Musicology: Aims, Methods, Prospects, pp. 35-56. Oxford: Oxford University Press.
PDF

DENORA, Tia. How is Extra-Musical Meaning Possible? Music as a Place and Space for "Work". Sociological Theory, Vol. 4, No. 1 (Spring, 1986), pp. 84-94.
PDF

BLANCO, Enrique. Música y lenguaje: Plan de la serie. Valoración del uso del "primitivismo" como analogía con los orígenes de la música. Especulaciones. Disponível em: http://www.imaginarymagnitude.net/eblanco/indice.html
PDF

FERRARA, Lawrence. Phenomenology as a Tool for Musical Analysis. The Musical Quarterly, Vol. 70, No. 3 (Summer, 1984), pp. 355-373. Oxford University Press. Stable URL: http://www.jstor.org/stable/742043. Accessed: 22/02/2013 09:05
PDF

FREITAS, Sérgio Paulo Ribeiro de et ali. Som de classe: a apropriação autoral nas etapas da produção em áudio digital pelo professor de música. 2004.
PDF

FUBINI, Enrico. Música e Crítica Musical: Duas Linguagens Incompatíveis? Tradução de Trabalho: Lorenzo Mammi.
PDF

GRACYK, Theodore A. Adorno, Jazz, and the Aesthetics of Popular Music. The Musical Quaterly, Vol. 76, N. 4 (Winter, 1992), 526-542.
PDF

HONING, Henkjan. The Comeback of systematic Musicology: new Empiricism and the Cognitive Revolution.
PDF

HURON, David. Notes on Meyer, Leonard B. Emotion and Meaning in Music. Chicago: Chicago University Press, 1956.
HTML

KERMAN, J. (1985). Quadro de Análise Musical criado a partir do Capítulo 3 do livro Musicologia, por Sérgio Paulo Ribeiro de Freitas. São Paulo: Martins Fontes, 1987.
PDF

KERMAN, Joseph. How We Got into Analysis, and How to Get out. Critical Inquiry, Vol. 7, No. 2 (Winter, 1980), pp. 311-331.
PDF

KOELLREUTTER, Hans-Joachin. Música tem de ter conteúdo. Entrevista de 1977: Uma antiga, longa e muito reveladora entrevista com Koellreutter ao Estado de S. Paulo.
PDF

LABOISSIÈRE, Marilia. Música e Filosofia: reflexões sobreconceitos e interfaces.
PDF

MCCLARY, Susan e WALSER, Robert. Theorizing the Body in African-American Music. Black Music Research Journal, Vol. 14, No. 1, Selected Papers from the 1993 National Conference on Black Music Research (Spring, 1994), pp. 75-84. Chicago: Center for Black Music Research, Columbia College Chicago and University of Illinois Press. Disponível em http://www.jstor.org/stable/779459. Acesso em: 26 mar. 2013.
PDF

MCCLARY, Susan. Constructions of Gender in Monteverdi's Dramatic Music. Cambridge Opera Journal, Vol. 1, No. 3 (Nov., 1989), pp. 203-223. Cambridge: Cambridge University Press. Disponível em http://www.jstor.org/stable/823782. Acesso em: 26 mar. 2013.
PDF

MCCLARY, Susan. Reshaping a Discipline: Musicology and Feminism in the 1990s. Feminist Studies, Vol. 19, No. 2, Women's Bodies and the State (Summer, 1993), pp. 399-423.
PDF

MCCLARY, Susan. Terminal Prestige: The Case of Avant-Garde Music Composition. Cultural Critique, No. 12, Discursive Strategies and the Economy of Prestige (Spring, 1989), pp. 57-81.
PDF

MCCRELESS, Patrick. Contemporary Music Theory and the New Musicology: An Introduction. Music Theory Online. Vol 2.2.
PDF

MCCRELESS, Patrick. Teoria Contemporânea da Música e a Nova Musicologia: Uma Introdução. Traduzido por ??? Music Theory Online, The Online Journal of the Society for Music Theory, Volume 2.2.
PDF

MELLO, Marcelo (2003). O caso música x linguagem. Reflexões sobre Lingüística e cognição musical. Tese (Mestrado); Campinas: Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP. Fonte: http://i.1asphost.com/marcelomello/mmreflexoes_1.html
PDF

MEYER, Leonard B. Chapter 1: Theory. In Emotion and Meaning. Chicago: University of Chicago Press, 1956.
PDF

MEYER, Leonard B. Chapter 2: Expectation and learning. In Emotion and Meaning. Chicago: University of Chicago Press, 1956.
PDF

MIRAGLIA, Daniel Antonio. Analisis de la relación entre musica y lenguaje.
PDF

MOLINO, Jean. Analyser: epistemologia, método, reflexão. Tradução da Associação de Cultura Franco Brasileira Alliance Française de Londrina. Disponível em http://adriano_gado.sites.uol.com.br/index.htm. Acesso em 28/07/2004.
PDF

NATTIEZ, Jean-Jacques. O desconforto da musicologia. Tradução de Luis Paulo Sampaio. Per Musi, Revista Acadêmica de Música, n.11, 136 p. jan, jun, 2005.
PDF

NETTL, Bruno. Música in: The New Grove Dictionary of Music and Musicians. Oxford University Press, 2003. tradução: Prof. Ricardo Mazzini Bordini.
PDF

PALISCA, Claude V. Teoria, teóricos. Traduzido para português. The New Grove Dictionary of Music Online L. Macy ed. (Acessado em 22 de Agosto de 2004), http://www.grovemusic.com
PDF

PALOMBINI, Carlos. O jagunço da alta classe média brasileira gosta de Chopin. Revista Eletrônica de Musicologia, Vol. 5, no. 1, Junho de 2000, Departamento de Artes da UFPr.
PDF

PALOMBINI, Carlos. Uma entrevista com Elizabeth Wood, 13 e 14 de maio de 2003.
PDF

QUEIROZ, Flávio de. Canto gregoriano, modos eclesiásticos: o que aprendemos com os nossos livros de teoria musical. Ictus 07
PDF

RIBEIRO, Hugo L. (Org.). Diálogos sobre música: em busca do entendimento. Salvador: Edufba, no prelo.
PDF

RUWET, Nicolas; Everist, Mark. Methods of Analysis in Musicology. Music Analysis, Vol. 6, No. 1/2 (Mar. - Jul., 1987), pp. 3-9+11-36
PDF

SANS, Juan Francisco. Oralidade y Escritura en el texto musical. Akademos, vol. 3, nº 1, 2001, pp. 89-114.
PDF

SANTAELLA, Lucia. A sintaxe como eixo da linguagem sonora ou A sintaxe como eixo da matriz sonora. in Matrizes da Linguagem e Pensamento: Sonora Visual Verbal. São Paulo, Ed. Iluminuras, 2001. Páginas 112 a 116. Disponível em: http://www.pucsp.br/pos/cos/clm/forum/sumario.htm#
PDF

WISNIK, José Miguel. O Som e o Sentido. 2 ed. Companhia das Letras, 1999.
PDF